sexta-feira

Diário de Vladimir Severo
Lisboa, 22 de Fevereiro de 2008


Hoje estou estupidamente romântico, ridiculamente apaixonado, Quixotesco.
E por tanto, sonho com a Valquíria a cantar-me isto:




La Vie En Rose

Des Yeux Qui Font Baisser Les Miens
Un Rire Qui Se Perd Sur Sa Bouche
Voila Le Portrait Sans Retouche
De L'homme Auguel J'appartiens

Quand Il Me Prend Dans Ses Bras,
Il Me Parle Tout Bas
Je Vois La Vie En Rose,

Il Me Dit Des Mots D'amour
Das Mots De Tous Les Jours,
Et Ca Me Fait Quelques Choses

Il Est Entre Dans Mon Coeur,
Une Part De Bonheur
Dont Je Connais La Cause,

C'est Lui Pour Moi, Moi Pour Lui
Dans La Vie, Il Me L'a Dit,
L'a Jure Pour La Vie,

Et Des Que Je L'apercois
Alors Je Sens En Moi,
Mon Coeur Qui Bat...

Des Nuits D'amour A Plus Finir
Un Grand Bonheur Qui Prend Sa Place
Les Ennuis, Des Chagrins S'effacent
Heureux, Heureux A En Mourir

Quand Il Me Prend Dans Ses Bras,
Il Me Parle Tout Bas
Je Vois La Vie En Rose,

Il Me Dit Des Mots D'amour
Das Mots De Tous Les Jours,
Et Ca Me Fait Quelques Choses

Il Est Entre Dans Mon Coeur,
Une Part De Bonheur
Dont Je Connais La Cause,

C'est Lui Pour Moi, Moi Pour Lui
Dans La Vie, Il Me L'a Dit,
L'a Jure Pour La Vie,

Et Des Que Je L'apercois
Alors Je Sens En Moi,
Mon Coeur Qui Bat...


A Vida Cor-de-Rosa (tradução livre por Vladimir Severo)

Uns Olhos que fazem baixarem os meus
Um riso que se perde na sua boca
Aqui está o retrato sem retoque
Do Homem a quem eu pertenço

Quando me agarra em seus braços
Quando me fala baixinho
Eu vejo a vida cor-de-rosa

Ele diz-me palavras de amor
As palavras de todos os dias
E isso faz em mim qualquer coisa

Ele entrou no meu coração
Um pouco de felicidade
Da qual eu conheço a causa

É ele para mim, eu para ele
Na vida, ele disse-me
e jurou pela vida

E desde que eu percebo
Então sinto em mim
O meu coração que bate...

Noites de amor que não acabam mais
Uma grande felicidade conquista o seu lugar
Os aborrecimentos e as tristezas apagam-se
Feliz, feliz até morrer

Quando me agarra em seus braços
Quando me fala baixinho
Eu vejo a vida cor-de-rosa

Ele diz-me palavras de amor
As palavras de todos os dias
E isso faz em mim qualquer coisa

Ele entrou no meu coração
Um pouco de felicidade
Da qual eu conheço a causa

É ele pra mim, eu pra ele
Na vida, ele disse-me
e jurou pela vida

E desde que eu percebo
Então sinto em mim
O meu coração que bate...

3 opiniões:

* disse...

sabes, ía pôr esta música no meu blog hoje... :)

LuisElMau disse...

e não te prendas por mim.
a música é linda...

ElMauNitch disse...

Amigo Vladimir, se sonha com a Valquíria a lhe cantar esta música, talvez ainda não tenha percebido que género de mulher é ela...
No entanto digo-lhe que se sonha com isso, o melhor que tem a fazer é agarra-la nos seus braços e falar-lhe baixinho ao ouvido, palavras do amor de todos os dias.
Não se acanhe.