terça-feira

Imagem a contextualizar #05 - by ElMau


Fotografia de Henri Cartier Bresson


boomp3.com

Nossos corpos misturados
Sobre a colcha, sobre flores
Vermelho e Negro
Somos dois corpos?
Quantas mãos afinal?

As nossas roupas despem-se
As tuas ancas as minhas mãos, ou não?
Pernas presas em pernas
Sexos quentes tocam-se
Lábios e saliva por toda a nossa pele

Existe algo mais?
Fomos algo mais?
Onde estamos?
Existe tempo?

Cheiramos a nós
Saboreamo-nos
Entramos em nós
Misturamos
Somos

Agora e Aqui
Uma, Duas, Três
Qualquer vez
Aqui e Agora
Somos

Estás em mim
Tudo onde toquei, saboreei, Fiquei.
Tudo que cheirei, ouvi, Fiquei.
Tudo que senti, vi e Fiquei.
Estou em Ti

18 opiniões:

Maura disse...

Este é dos melhores poemas eróticos que já li!
Até fiquei ruborizada!...

E a foto, bem, quero ver as contextualizações que vão surgir!! É mesmo muito forte!! :)

Lucia disse...

Também gostei muito!

Deixo aqui também um dos meus poemos para esta imagem :D

Deixa-me beber da tua boca
As palavras que nunca me dirás.
Deixa-me engolir cada uma
E prende-las na minha alma.

Digo o teu nome baixinho
E, deixo que o eco
Flutue pela minha pele.
És meu. És o meu segredo.

Não. Não tenhas pressa.
O suor ainda está quente.
A respiração ainda está ofegante.
Deixa-te ficar aqui, ao meu lado.

A manhã já não nos pertence.
Mas, o aroma ainda é adocicado
E eu, deixo-me ficar,
Até ser horas de me levantar.

LuisElMau disse...

isto promete.
que bom.

a minha contextualização foi escrita quase ao mesmo tempo que a publicava e não é apenas inspirada na imagem.

lucia, belo poema.

maura, mãos à obra.

Vladimir Severo disse...

Bela foto e belos textos.
Começo a gostar disto.

paladar da loucura disse...

Também gostei e amei
"Estás em mim
Tudo onde toquei, saboreei, Fiquei.
Tudo que cheirei, ouvi, Fiquei.
Tudo que senti, vi e Fiquei.
Estou em Ti"

Tão bem sabe esse Fiquei!

Parabéns amigo Mau

paladar da loucura disse...

Essa musica me deixa
simplesmente me deixa. um lamento em cada compasso, uma lágrima escondida, um suspiro contido, saudade do que nunca existiu, vontade de ser, um segredo guardado - sempre.
essa musica me deixa assim - vontade de ser
obg ElMau

paladar da loucura disse...

e depois vem essa vontade que toma conta de nós. se achares por bem
o texto qu segue para mais uma contextualização publica.

era doce - tão doce
teu corpo vermelho
enviesado na colcha

era doce- tão doce
feito meu sémen
dentro de ti

na cama, na colcha
vermelho
era teu corpo
em mim

LuisElMau disse...

estás realmente com a tua veia poética ao rubro, amiga da loucura.

qual deles o melhor?

continua sempre a escrever, que o fazes bem demais.

Beijos.

LuisElMau disse...

e não resisti, tive que colocar aqui uma música.
e esta música em particular.
é que me diz tanto, nem sei explicar.

paladar da loucura disse...

lembras da cor do vestido dela? um contraste com a luz do resto do filme, não achas? Vestida aé ao pescoço, tão sensual que tira o ar.
não estou em mim tal é saudade que sinto de existir. Nem o tejo que vejo da minha varanda me consola hoje.
queria ser um filme, congelar o instante de um breve suspiro. se a luz do projector queimasse, deixava-me estar - nessa cena eu respirava.
beijos, beijos

paladar da loucura disse...

lembras da cor do vestido dela? um contraste com a luz do resto do filme, não achas? Vestida aé ao pescoço, tão sensual que tira o ar.
não estou em mim tal é saudade que sinto de existir. Nem o tejo que vejo da minha varanda me consola hoje.
queria ser um filme, congelar o instante de um breve suspiro. se a luz do projector queimasse, deixava-me estar - nessa cena eu respirava.
beijos, beijos

Meres disse...

Bela música para tão bela imagem!!!

Nobody disse...

Esta quente aqui por entre as pernas que sao tuas, as que sei agora que te explodes assim e que sei que nao ha mais para alem deste dia que e so meu porque tu nao me sentes como eu te sinto. Porque eu sei em mim que o que e teu nao me pertence. Na dor do meu prazer coberto pela percepçao que o desfecho esta proximo e é triste na minha tristeza maior.
Ja sei que amanha vou acordar e o corpo que eu conheci tao bem nao vai la estar no quente dos lençois mas so por baixo do meu corpo frio de saudade. Ja sei que as minhas maos sao duras para a pessoa em que me tornei na minha frieza face a ausencia de sorrisos. Nao sei sorrir mas sei fingir, abrigo-me à sombra da minha força que ainda nao existe e por mais lagrimas que largue no chao sem chao deste trapezio que e so meu eu sei que que desta queda que nao é queda e so me fez escorregar eu so me vou levantar mais alta.
Eu sei que no carinho que te tenho me levanto desta cama hoje com a certeza de ser em mim aquilo que sou tao maior, tao mais forte tao mais alta.
Esta foi so a primeira noite.

chá na rua disse...

Aqui vai, Luis:
"Somos um do outro e temos mãos,bocas e dedos em toda a parte
Somos beijos, rodopios e soluços de prazer
Somos cheiros, suores, e temos roupa, brincos e cabelos pelo chão
Somos abraços, deleites, carícias e apertos, sempre em contra-mão
Somos um reboliço quente que brinca à cabra cega
Somos loucos, curiosos, obsessivos mas leais ao corpo um do outro
Somos tudo e nada num só corpo e momento

Estamos anestesiados pelo prazer e pela descoberta
Estamos vermelhos de paixão, de rubor e de suor
Estamos alertas e felizes como crianças que jogam ao dominó
Estamos quentes, e já com cãibras, das ginásticas, atropelos e equilíbrios que fizemos
Estamos juntos e unos com vigor e com ou sem dúvidas?
Estamos famintos de amor, de atenção e de desejo
Estamos surpresos pela rapidez e facilidade desta entrega inesperada
Estamos perplexos com o que a vida nos dá sem aviso

Sorrimos agora à surpresa, à mudança e ao que há-de vir
Sorrimos ao momento e às recordações que ele nos dará amanhã
Sorrimos ao desafio e ao desabafo de o repetir vezes sem conta
Sorrimos à vontade de o repetir aqui, agora e já
Sorrimos e escorregamos na seda dos lençóis desfeitos e frisados
Sorrimos ao encanto das trocas e baldrocas do corpo e do olhar
Sorrimos à desgarrada, sem medo e ao brilho desta união
Sorrimos e rendemo-nos sem hesitações à magia do nosso primeiro encontro.
Sorrimos à Vida e brindamos com moscatel, ao Amor.

Sorrimos, porque, aqui e agora, somos e estamos… juntos."
Beijos.

chá na rua disse...

Luis, muda nesta frase "Sorrimos e rendemo-nos sem hesitações à magia do nosso primeiro encontro" a expressão "sem hesitações" para "sem hesitar"... pode ser que dê para ficar todas frases seguidas a começar pela mesma palavra... obrigada.
Diverti-me imenso mais uma vez.
Beijos.

Afonso Eanes de Coton disse...

Marinha, o teu folgar
tenho eu por desacertado,
e ando maravilhado
de te não ver rebentar;
pois tapo com esta minha
boca, a tua boca, Marinha;
e com este nariz meu,
tapo eu, Marinha, o teu;
com as mãos te tapo as orelhas,
e os olhos e as sobrancelhas,
tapo-te ao primeiro sono;
com a minha piça o teu cono;
e como o não faz nenhum,
com os colhões te tapo o cu.
e não rebentas, Marinha?

Flor disse...

Excelente!
Tive de linkar (o post e o blog), espero que não te importes :)

LuisElMau disse...

Flor, claro que não me importo.
Seja bem aparecida.
Porque não entras na brincadeira também e escreves alguma coisa para uma das imagens que estão já por aí?

Beijos.