quinta-feira

A VERDADE LA PALICE
#01

A temática da verdade e da mentira persegue-me, faz tempo. O Sr. Grisalho dizia recorrentemente que a verdade é uma mentira que já aconteceu e por outro lado que a mentira é uma verdade por acontecer. Levando a questão para um campo factual e tangível, onde o que é facto e aconteceu é verdade e o que não aconteceu é mentira, mas também levando a questão para um campo de sonho onde tudo pode ser verdade e acontecer e onde a diferença entre uma coisa e a outra passa apenas pela nossa própria acção e vontade.
Em diversas alturas da minha vida desconfiaram de mim e sim, também eu sou como todos nós e já menti, inventei, fabulei, ilustrei ou imaginei.
Na senda desta descoberta, para mim tão pouco interessante, do que é verdade e do que é mentira, dou hoje inicio a mais uma rubrica no meu blog. A verdade la Palice.
Jacques de la Palice era um soldado Francês, ficou famoso por afirmar verdades evidentes.

“Se hoje não fosse quinta-feira, amanhã não seria sexta-feira!”

4 opiniões:

succubus disse...

Passo a citar o que li num blog
"Origem: O guerreiro francês Jacques de Chabannes, senhor de La Palice (1470-1525), nada fez para denominar hoje um truísmo. Fama tão negativa e multissecular deve-se a um erro de interpretação.
Na sua época, este chefe militar celebrizou-se pela vitória em várias campanhas. Até que, na batalha de Pavia, foi morto em pleno combate. E os soldados que ele comandava, impressionados pela sua valentia, compuseram em sua honra uma canção com versos ingénuos:
"O Senhor de La Palice / Morreu em frente a Pavia; / Momentos antes da sua morte, / Podem crer, inda vivia."
O autor queria dizer que Jacques de Chabannes pelejara até ao fim, isto é, "momentos antes da sua morte", ainda lutava. Mas saiu-lhe um truísmo, uma evidência.
Segundo a enciclopédia Lello, alguns historiadores consideram esta versão apócrifa. Só no século XVIII se atribuiu a La Palice um estribilho que lhe não dizia respeito. Portanto, fosse qual fosse o intuito dos versos, Jacques de Chabannes não teve culpa.

Nota: Em Portugal, empregam-se as duas grafias: La Palice ou La Palisse."

Maura disse...

Roma e PAvia não se fizeram num dia.

cereja disse...

se é verdade que a verdade não existe então a verdade existe-resposta de Sócrates aos Sofistas

Maria Pipoca disse...

Cá para mim esse Socrates nunca me enganou...essa história do sei que nada sei, a verdade não existe então existe e tal e tal...esse homem andava a fumar cenas que o faziam pensar demais (curtia saber é onde é que ele as arranjava) mas prontos...já me perdi na conversa com isto do fumar....vou ali mandar uma fumaça de português suave e já volto.
Bjs pra ti Elmau tens um blog que me agrada assim pro bastante muito de carago...