quarta-feira





Deixa-me beber da tua boca
As palavras que nunca me dirás.
Deixa-me engolir cada uma
E prende-las na minha alma.
Digo o teu nome baixinho
E, deixo que o eco
Flutue pela minha pele.
És meu. És o meu segredo.

Não. Não tenhas pressa.
O suor ainda está quente.
A respiração ainda está ofegante.
Deixa-te ficar aqui, ao meu lado.

A manhã já não nos pertence.
Mas, o aroma ainda é adocicado
E eu, deixo-me ficar,
Até ser horas de me levantar.

6 opiniões:

chá na rua disse...

Gostei muito, Lucia. Parabéns. Continua. :)

Lucia disse...

:) Obrigado

Maura disse...

Excelente! Os dois primeiros versos então... ;)

LuisElMau disse...

gosto muito também, e devo dizer que tenho já mais cinco textos para esta fotografia prontos a sair, qual deles o melhor.

Boa Lucia, ainda bem que desta vez não mataste ninguém, aqui não dava pá, a imagem é bonita demais.

Lucia disse...

fico feliz por terem gostado :) a ver se tenho tempo para ler tudo...

LuisElMau disse...

tempo tens, acho que isto não vai sair do ar tão cedo.
Beijos.