quinta-feira

Imagem a contextualizar #05 - by Ethel




1

Quero minha cabeça em seus braços
paro o relógio
deixo que o tempo se ausente
Se me for dado somente um minuto
não lamento
Penso nele devagar
quando me beija a boca
a coxa entreaberta
a púbis
Quando me beija por dentro

Sou a puta da esquina
sou a virgem Maria
Se o seu tempo for só de um segundo
será nele que inventarei a eternidade

É assim que o amo
Não me importa
se no minuto seguinte
já não está comigo
Ele é o homem que amo

Se o seu tempo
for de um compasso
que ele seja de pausa
porque urge o silêncio

Se for um desenho
que ele seja branco
tão intenso o que sinto

Eterno é o momento
quando ele me beija por dentro

_____________________________________________

2

era doce - tão doce
teu corpo vermelho
enviesado na colcha

era doce - tão doce
feito meu sémen
dentro de ti

na cama, na colcha
vermelho
era teu corpo
em mim

8 opiniões:

Maura disse...

O primeiro é perfeito!

paladar da loucura disse...

obrigada Maura :)

manu disse...

Simplesmente lindo!!!

la folie disse...

adoro! adoro como escreves

LuisElMau disse...

como vês amiga, não sou o único a sentir e pensar que a tua poesia é simplesmente genial e bela.
vou fazer publicidade ao teu sitio onde tens publicado, mas ainda não descobri como o fazer com a pompa e a circuntância que mereces.

fa disse...

Eu quero ser leitor desta mulher!
Descobre a pompa Luis.

Ethel, já leste uma poetisa brasileira chamada Ana Cristina César? Tua escrita me parece ressoar com a dela.

Abraços e parabéns!

paladar da loucura disse...

Obrigada, obrigada, obrigada, obrigada, obrigada. Não conheço a poetisa brasileira (sou paulista)- mas vou procurar Fa.
Estou assim um tanto ou nada vermelha - da cor daquela colcha abençoada!

Beijos a todos

La Folie vou ler o teu blogue- merci

Manu - ai xuxu saudades de você

Luis - El Mau - só tu para me chamares poetisa!

fa disse...

Desculpa Ethel... Minhas manifestações por vezes são um tanto efusivas quando me sinto tocado. Que surpresa seres paulista! Falei na Ana Cesar, pois adoro a poesia dela. Tem qualquer coisa de um encontro de estilos entre vocês. Espero que gostes.

Mais uma vez, abraços e parabéns!

Luis... Te enfiei numa "saia justa" como dizemos por aqui... Este sou eu quando fico empolgado... Hehehe!
Mas acho que tens razão em chamar a Ethel de poetisa.

Um primo-abraço-forte daqui!
Beijos muitos na minha mana Manú!